I EdUC BR reúne educadores de toda América Latina para debater o futuro do GIS na Educação

Realizado dentro do maior evento focado em Inteligência Geográfica da América Latina, o LAUC 2014, que aconteceu em Campinas, SP, nos dias 25 e 26 de setembro, o EduC BR 2014, primeiro encontro voltado à educadores GIS e entusiastas da educação, promovido pela empresa Imagem, líder em Sistemas de Inteligência Geográfica do Brasil, reuniu 70 pessoas nos dois dias de evento para debater o futuro do ensino geográfico para crianças e universitários em todo o mundo, com foco especial na região da América Latina. Grandes universidades como Unesp (São Paulo), UERJ (Rio de Janeiro), UNIGIS, Universidad de Salle (Colômbia), Universidad Agraria de Colombia (Colômbia), e a Universidad del Pacífico (Chile), foram algumas das que participaram como palestrantes, expondo práticas com Inteligência Geográfica aplicada na Educação, quer seja no ensino, na pesquisa ou na extensão.

O uso de mapas digitais, sistemas de localização, imagens de satélite, sensores e aplicativos móveis vem se consolidando no dia a dia das pessoas. E segundo Abimael Cereda Júnior, idealizador do EduC BR 2014, professor universitário e gerente da vertical de Educação da Imagem, a Geografia vem ganhando, em um mundo tão globalizado, imensa importância nos processos de ensino para entender ONDE e COMO cada fenômeno, ação humana ou natural, acontecem e quais os impactos deles no nosso cotidiano, a fim de formar tomadores de decisões mais preparados para lidar com questões populacionais e urbanas. 

Quando os estudantes utilizam Inteligência Geográfica no processo de aprendizagem, eles estão desenvolvendo habilidades de análise e pensamento crítico que moldarão os profissionais do futuro. Com o mote de fazer com que o ser humano caminhe em harmonia com o ambiente que o cerca, o EduC BR 2014 trouxe conceitos inovadores de aplicações inteligentes da Geografia em sala de aula, que já formaram milhares de técnicos e especialistas em análises em toda América Latina, em cursos presenciais e à distância.
“Vivemos em uma era de conexões, tanto tecnológica como pessoal, e essas conexões estão cada vez mais próximas e naturais para nós com o advento da internet e da globalização. Por isso, cabe a nós educadores utilizarmos com sabedoria os recursos modernos para aprimorar a experiência dentro das salas de aula”, afirma Cereda. “Se não formarmos alunos capazes de tomar decisões e pensar espacialmente, teremos uma grave falta de técnicos e especialistas para ocupar cargos importantes em áreas de urbanismo, economia, negócios e nos setores básicos da sociedade, do setor elétrico até saneamento.” 

Comprometida com a qualidade de educação do mundo, a Esri possui cerca de 10 mil universidades usuárias da sua tecnologia GIS, tendo 95% das 400 faculdades listadas na revista Times. Para Michael Gould, diretor da área de Educação da Esri, professores de todos os cursos estão encontrando maneiras de aplicar a Inteligência Geográfica para melhorar a formação dos alunos em matemática, ciências, dança, esporte, pois tudo está relacionado ao ONDE, QUEM, COMO e QUANDO. “E vemos cada vez mais entidades alinhadas com o objetivo da Esri, que é formar cientistas geográficos capazes de transformar o mundo através do conhecimento”, finaliza.